Alibaba e IBM são líderes na lista das empresas com maior número de patentes focadas em blockchain

By Luciano Rocha|Sep. 3rd, 2018

Send to Kindle

As gigantes da tecnologia Alibaba e IBM (China e Estados Unidos, respectivamente) estão disputando o primeiro lugar em uma nova lista que classifica empresas de acordo com o número de registros de patentes relacionadas à blockchain. O ranking leva em conta patentes publicadas até 31 de agosto.

De acordo com o portal de notícias chinês iPR Daily, especializado em propriedade intelectual e responsável pela divulgação do ranking, os dados foram consolidados a partir de 10 de agosto em toda a China, além de países como Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul. O site também consultou o Sistema Internacional de Patentes da Organização Mundial da Propriedade Intelectual(WIPO, na sigla em inglês).

O Alibaba garantiu o primeiro lugar, tendo registrado um total de 90 pedidos de patente relacionados à blockchain, enquanto a IBM vem logo atrás, com um total de 89 pedidos.

Em terceiro lugar está a Mastercard, com 80 pedidos, seguido pela banco norte-americano Bank of America, com 53. O quinto lugar pode surpreender a muitos: ninguém menos que o Banco Popular da China (PBoC), o banco central chinês, que apresentou um total de 44 pedidos de patentes dedicadas ao seu projeto para a criação de uma criptomoeda estatal.

Como o portal Cointelegraph informou, os dados da WIPO indicaram anteriormente que o maior número de registros de patentes para a tecnologia blockchain em 2017 veio da China, que registrou 225 naquele ano, números que são mais que o dobro dos Estados Unidos (91) e Austrália (13) somados.

Captura-de-Tela-2018-09-03-%C3%A0s-09.20.33-422x420.png%20422w

A adesão da China à tecnologia blockchain marca o contraste com a postura cada vez mais rigorosa do governo contra as criptomoedas descentralizadas, que se intensificou ainda mais nas últimas semanas. Esta posição dividida é espelhada pelo fundador d0 Alibaba Jack Ma, que tem sido enfático em seu apoio à blockchain, mesmo enquanto se mantém cético em relação às criptomoedas.

A IBM, por sua vez, continua a expandir seu envolvimento em blockchain em diversos campos. A empresa assinou um contrato de US$740 milhões com o governo australiano para usar blockchain e outras novas tecnologias visando melhorar a segurança de dados e automação nos departamentos federais, incluindo defesa e serviços domésticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *